Programa de Concessão de Rodovias

Em Pouso Alegre, ocorreu na tarde de hoje(21), a Audiência Pública do  Programa de Concessão de Rodovias através de um Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI).

Há mais de 15 anos, cerca de 2100 quilômetros de estradas foram transferidas da esfera federal para a estadual, incluindo as BR 459 e a BR 146.

 

Foi também em clima de frustração, que pouco mais de 50 pessoas, que incluia vereadores e prefeitos da região, que foi realizada a última audiência pública regional sobre o Programa de Concessão de Serviços para a exploração de trechos das Rodovias BR-459, BR-146, MG-290, MG-295, MG-455 e MG-459. Das dezenas de cidades cortadas por estas rodovias na região, poucas tiveram representatividade na audiência.
Estiveram presentes além do secretário de Estado de Transporte e Obras Públicas (Setop), Murilo Valadares; o Diretor-Geral do Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem (DEER – MG), Djaniro da Silva; os deputados estaduais Ulysses Gomes e Dalmo Ribeiro Silva além de lideranças políticas da região.

O vereador Giácomo Costanti esteve presente representando a Câmara Municipal de Santa Rita do Sapucaí e fez o seguinte questionamento:

” Por que da não inclusão da passarela no bairro da Pedreira no município de Santa Rita do Sapucaí?”. Fez ainda a seguinte observação: “Me preocupa muito que com a instalação da Praça de Pedágio no município de Piranguinho, próximo à Olegário Maciel, os motoristas passem a fazer a rota Brasópolis – Conceição dos Ouros – Cachoeira de Minas (usando a MG 173 e saindo novamente na BR 459 sentido Pouso Alegre. Pois a MG 173 é uma rodovia mal conservada, sem acostamentos, já super movimentada, a segunda rodovia estadual da nossa região  que mais ocorrem acidentes graves, perdendo apenas para a MG 290, com a possibilidade do aumento de veículos transitando por ela para fugir do pedágio, a situação poderá piorar e muito, gostaria que a SETOP – Secretaria de Estado de Transporte e Obras Públicas fizesse um estudo sobre este possível impacto na MG 173.”

Ao todo serão 7 praças de pedágio na região, 1 na BR 146 no trecho entre Andradas e Poços de Caldas, na altura do Km 544,8, outros 3 na BR 459, entre Poços de Caldas e Caldas no km 24,7 próximo a Gruta de Caldas, no km 77,3 em Congonhal e no km 143,3 entre Santa Rita do Sapucaí e Itajubá. Ainda serão mais 2 na MG 290 entre Pouso Alegre e Jacutinga e 1 na MG 459 em Monte Sião.

O valor estipulado para utilização das rodovias de início seria a partir de R$ 7,40.

De acordo com a assessoria de comunicação da Setop, a princípio o processo está em fase de discussão com a realização das audiências públicas e conseqüentemente será publicado um edital para a licitação dos lotes.

De início as empresas vencedoras terão de cumprir uma série de determinações conforme o edital de privatização e somente depois de tudo estar de acordo com o edital e que será iniciada a cobrança do pedágio.

Fotos: Fernando Lima

Esse post foi publicado em Trânsito. Bookmark o link permanente.

5 respostas para Programa de Concessão de Rodovias

  1. Otavio disse:

    Bom dia Giacomo.
    Quando estes pedágio vai começar a funcionar?
    E quais foram as respostas das suas respectivas perguntas?
    Obrigado, vc está fazendo um otimo trabalho em nossa cidade.

  2. Thiago disse:

    Eu pago R$7,50 em rodovia do Estado de SP que é duplicada, impecável, com callbox de assistencia da concessionaria pra todo lado. O pedágio para uma estrada simples como a BR-459 que eu passo no Estado de SP é 2,80. Muito me espanta o valor desse pedágio…. No mínimo estranho….

  3. Tunico disse:

    Ta caro esse preço base hein?

  4. Douglas disse:

    Já está começando tudo errado esse pedágio, não? Depois de tanto tempo sem obras o governo começou a arrumar a estrada próximo a Lorena …ou seja com dinheiro público… para entregar a concessionárias cobrando esse absurdo!? Não sou tão contra os pedágios desde que seja um valor que não lese os usuários, como na Fernão Dias, cerca de 1,80. Ainda deve ser exigido das consorciadas as melhorias nas rodovias, como sinalização e duplicação e não “o governo arrumar com dinheiro público pra outros ganhar muito dinheiro em cima”. Além disso essas privatizações deveria desonerar nossos impostos, neste caso o IPVA, porque pagar imposto e ainda pagar para circular em estradas privatizadas? Não tem lógica, se não mais arrecadação para continuar a roubalheira. Nesse ponto sou completamente contra.

  5. José disse:

    É minha gente estamos mesmo é perdido nas mãos desse povo, onde ja se viu cobrar pedagio R$7,50 em uma rodovia que na maioria das vezes andamos pra la e pra ca como a caminho do trabalho por exemplo, isso pra quem usa a rodovia e vem de longe até passa batido e não pesa muito no bolso, mas para nós da região que trabalha e estuda fora, imaginem o quanto vai encarrcer o custo e vida a começar neste aspecto, olha gente lamentável tudo isso!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s