Bombeiros treinam 12 horas para atuar em desmoronamentos e desmoronamentos

Simulado testou limites e atualizou técnicas

Quando há vítimas embaixo de escombros em situações de desmoronamentos de terra ou grandes desabamentos estruturas e residências, os bombeiros são chamados. Para realizar as operações com segurança e técnicas eficientes, o Batalhão de Emergências Ambientais e Respostas a Desastres (BEMAD), batalhão especializado do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais, realizou um simulado de Busca e Resgate em Estruturas Colapsadas (BREC), no dia 10 de abril, em Belo Horizonte.

O objetivo da atividade foi verificar a qualidade técnica e operacional dos militares e treinar práticas e doutrinas internacionais de salvamento preconizadas pela Organização das Nações Unidas (ONU). Para simular uma ocorrência foram colocadas quatro “vítimas” vivas e bonecos em um prédio parcialmente demolido, para que pudessem ser resgatadas pelos bombeiros. Cães foram utilizados para ajudar nas buscas, pois os animais sinalizam os locais onde as pessoas estão soterradas e direcionam as equipes para a retirada rápida das vítimas dos escombros, em um procedimento chamado de extricação.

Após a sinalização dos cães, as equipes de resgate realizam o escoramento das estruturas colapsadas e de acesso às vítimas, muitas vezes em espaços pequenos e restritos. ” O simulado teve a duração de 12 horas e foi montada toda a estrutura necessária para os trabalhos, descanso e alimentação, como em uma situação real, com o apoio da Defesa Civil Municipal de Belo Horizonte”, explica o coordenador do treinamento, tenente Leonard Farah.

As atividades seguiram um minucioso planejamento e reforçaram a capacitação dos bombeiros para trabalhar em situações extremas já adquirida em treinamentos diários realizados pelos militares do BEMAD e utilizada nas ocorrências atendidas no Estado. Em 2016, o batalhão atendeu a 2.729 ocorrências em todo o Estado.

Centralização

O BEMAD, primeiro batalhão de Bombeiros especializado em emergências ambientais e resposta a desastres foi ativado no dia 25 de novembro de 2014 com a missão de atuar em situações complexas de incêndios florestais, buscas e salvamentos em desmoronamentos e soterramentos, ocorrências com cães adestrados, produtos perigosos, enchentes e inundações.

Nos atendimentos, os militares usam viaturas especiais e fardamento com cores diferenciadas: amarelo para combate a incêndios florestais, laranja para buscas e salvamentos e roupões de proteção azuis para ocorrências com produtos perigosos. As cores ajudam na localização das equipes em zonas rurais e em cenários de destruição.

A centralização de equipes especializadas para o atendimento a desastres naturais e emergências ambientais é uma iniciativa pioneira em Minas Gerais. Em todo o Brasil, apenas 12 estados têm projetos semelhantes. Os militares trabalham divididos em equipes especializadas: busca e resgate em estruturas colapsadas, socorro e Salvamento em enchentes e inundações, busca e salvamento com cães de resgate e ocorrências com produtos químicos, biológicos, radiológicos, nucleares e explosivos, além da equipe de combate a incêndios florestais. A experiência de sucesso tem, inclusive, servido de referência para treinamentos de bombeiros de outros estados como Espírito Santo e Sergipe, além de militares das Forças Armadas.

Esse post foi publicado em Noticias de Minas Gerais. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s