Governo garante maior agilidade no período chuvoso com a mobilização de órgãos estaduais

Além de monitorar tudo o que ocorre em cada Território de Desenvolvimento, Grupo Estratégico de Resposta instituído pelo governador desenvolve ações na prevenção e redução de riscos

Minas Gerais se aproxima do fim do período chuvoso com um balanço positivo de atuação nesse período. Por meio da criação do Grupo Estratégico de Resposta (GER) em dezembro do ano passado, o Governo do Estado articulou esforços dos órgãos estaduais e mobilizou as equipes para um trabalho coordenado no enfrentamento dos problemas causados pelas chuvas.

Criado pelo Decreto nº 655 de 15 de dezembro de 2016, o Grupo Estratégico tem suas atividades coordenadas pelo Gabinete Militar do Governador, por meio da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec). Como integrantes, conta com representantes das secretarias de Governo (Segov)Fazenda (SEF)Saúde (SES)Trabalho e Desenvolvimento Social (Sedese)Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad)Transporte e Obras Públicas (Setop), bem como do Departamento de Edificações Estradas de Rodagem (DEER)CemigCopasaPolícia MilitarPolícia CivilCorpo de Bombeiros Militar e Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam).

Além de monitorar tudo o que ocorre em cada Território de Desenvolvimento, o Grupo focou nas ações de resposta em situações de emergência, em atendimento à diretriz do governador Fernando Pimentel para atender à população de forma ágil e eficiente.

Como diferencial, diante do recebimento de informações sobre um evento adverso por qualquer um dos órgãos, o conteúdo era compartilhado e os responsáveis prontamente acionados. DEER, Cemig e Copasa, por exemplo, puderam ser mobilizados simultaneamente, com uma pronta resposta à população afetada por problemas provocados pelas chuvas. Isto é, ao mesmo tempo, a Cemig reparava danos no sistema elétrico para o restabelecimento da energia, os órgãos de obras públicas recuperavam as vias, as equipes de saneamento reparavam tubulações, e assim por diante.

“O Grupo criou um contexto de grande envolvimento e mobilização de todos os órgãos do Estado envolvidos, com o objetivo de manter um monitoramento contínuo de possíveis consequências danosas das chuvas, e apresentar respostas rápidas e efetivas, quando necessário”, aponta o coordenador do GER, tenente coronel Juliano Cançado.

Como exemplo, o tenente coronel cita as chuvas ocorridas no distrito de Nicolândia, no município de Resplendor, no Território Vale do Rio Doce. “Na ocasião, após chuvas intensas, o distrito foi praticamente destruído, o que resultou em centenas de desabrigados, no colapso dos serviços básicos de água e de energia elétrica, além de deixar a localidade isolada”, observa. “Com a atuação do GER, em curtíssimo espaço de tempo foram fornecidos aos moradores itens de ajuda humanitária (cestas básicas e colchões), além de restabelecidos o acesso à sede do município e o serviço de energia elétrica”, destaca.

Atuação

De acordo com o coordenador do GER, o grupo se estruturou para ser acionado sempre de forma rápida e dinâmica, inclusive com o uso de tecnologias de comunicação instantânea, o que criou condições para o rápido acionamento dos órgãos participantes.

É possível destacar, além das citadas ações no distrito de Nicolândia, outras intervenções concluídas rapidamente a partir da articulação do Grupo Estratégico de Resposta:

  • km 5 da LMG-806, em Ribeirão das Neves, chegou a ser interditado devido ao rompimento de um bueiro, como consequência das fortes chuvas. Órgãos de transportes e obras públicas estaduais trabalharam ativamente para o restabelecimento do tráfego e recuperação da área. Atualmente, o trecho está em duplicação, o que vai agilizar o acesso ao município;
  • Restabelecimento da energia elétrica no Leste de Minas Gerais, por parte da Cemig, após a queda de uma torre de transmissão;
  • Reconstrução de acessos nos distritos de Chonin de Baixo e Chonin de Cima, ambos pertencentes ao município de Governador Valadares (Território Vale do Rio Doce);
  • Reconstrução de acessos no município de Mantena (Território Vale do Rio Doce);
  • Construção de desvios no município de Mendes Pimentel (Território Vale do Rio Doce), após o comprometimento em virtude de chuvas;
  • Durante o carnaval, ocorreu um desmoronamento de grandes proporções no município de São Tiago (Território de Desenvolvimento Vertentes), arrastando parte da rede elétrica do Município. A informação ágil sobre o acidente e a sua localização permitiram que a Cemig interviesse rapidamente, evitando consequências mais graves;
  • Ao todo, segundo o DEER/MG, foram liberados 34 locais que tiveram o tráfego interditado, desde o início do período chuvoso.

    Itens de ajuda humanitária foram distribuídos aos moradores no município de Resplendor (Crédito: Divulgação/Cedec)

Esforço conjunto

A pronta-resposta e articulação dos órgãos no primeiro período chuvoso do GER foram avaliadas como extremamente positivas pela Coordenadoria Estadual de Defesa Civil. Além disso, representantes das secretarias, autarquias e órgãos também consideraram assertivas as proposições e decisões tomadas conjuntamente no Grupo Estratégico.

O trecho do km 5 da LMG-806 foi recuperado e está com duplicação em andamento pelo DEER-MG (Crédito: Mércia Lemos)

“A atuação ficou aprimorada. As demandas são trazidas ao grupo e já são colocadas como demandas formais no âmbito da própria reunião. E, na reunião seguinte, o pronto encaminhamento do que foi deliberado no encontro anterior permite o melhor acompanhamento do tema e maior agilidade na atuação”, destaca a presidente da Copasa, Sinara Meireles.

A agilidade também é apontada como diferencial pelo gerente de Relacionamento com Clientes Especiais do Poder Público da Cemig, Ernando Braga. “É muito importante e estratégica a participação da Cemig no GER, pois a integração com os demais órgãos componentes do Grupo permite à Cemig dar maior celeridade às ações de restabelecimento de energia elétrica nas comunidades afetadas por ocorrências decorrentes das chuvas”, aponta.

Por sua vez, o diretor de Manutenção do DEER, Dirceu Gomes, enfatiza o sincronismo existente em função das reuniões de trabalho e das ações em campo, logo após o surgimento de ocorrências relacionadas às chuvas.

“O mais importante é ressaltar que o GER prepara o DEER para o futuro, pois sua atuação consiste também em antever possíveis locais críticos para criar, de modo preventivo, planos de ação com os diversos parceiros. Exemplos nesse sentido são: limpezas de bueiros, limpeza de sistemas de drenagem, checagem e vistoria da qualidade geral das rodovias ao longo da malha, entre outros”, afirma.

O DEER/MG, inclusive, mantém um quadro atualizado diariamente no site do Departamento, no qual são registradas as ocorrências nas rodovias. Desde o início do período chuvoso, em outubro de 2016, o departamento registrou 68 ocorrências, com 38 completamente resolvidas e outras estão em fase de conclusão. Do total de ocorrências, 13 estiveram relacionadas a pista de rolamento, 11 pontes, 43 aterros e um atoleiro.

Balanço

De acordo com a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, foram realizadas, até aqui, 12 reuniões do GER. Até o final do período chuvoso, previsto para este mês de março, a previsão é chegar a um total de 15 encontros estratégicos.

“A experiência do GER veio consolidar as práticas de mobilização que já existiam, com o envolvimento dos órgãos do Estado no Plano de Emergência Pluviométrica (PEP), o qual era lançado anualmente para viger no período chuvoso, conforme as previsões climatológicas”, afirma o tenente coronel Juliano Cançado. “A ação do governador Fernando Pimentel representou a institucionalização de uma prática de governança exitosa, criando um estado de alerta permanente e necessário por parte dos respectivos gestores, permitindo, assim, que respostas rápidas e adequadas sejam fornecidas pelo Estado aos seus municípios e à comunidade mineira”, conclui.

Segundo Cançado, o Grupo Estratégico continuará a funcionar mesmo após o período chuvoso. ”A frequência das reuniões será diminuída, tendo em vista não haver mais a necessidade de encontros semanais. De qualquer maneira, os mecanismos de comunicação contínua serão mantidos, permanecendo as condições para que, em caso de eventualidades, haja a pronta resposta à população afetada”, finaliza.

Proteção

Como o período chuvoso é propenso à ocorrência de alagamentos, deslizamentos e quedas de árvores, por exemplo, a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) também reforça aos cidadãos a importância de se adotar medidas de segurança e proteção. Clique aqui para conferir algumas dessas orientações, listadas pelo órgão.

Esse post foi publicado em Noticias de Minas Gerais. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s