Governo de Minas Gerais comemora anúncio da Unesco elevando Pampulha a Patrimônio da Humanidade

Iepha/MG promove inventário das obras de Niemeyer no Estado.Arquiteto será um dos temas de seminário sobre arquitetura moderna a ser realizado no Circuito Liberdade

O Governo de Minas Gerais, por meio da Secretaria de Estado de Cultura e do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (IEPHA), comemorou a confirmação do Conjunto Moderno  da Pampulha como Patrimônio Cultural da Humanidade, anunciada pela Unesco ontem(17).

Minas Gerais passa a ser a unidade federativa com o maior número de sítios declarados como Patrimônio Mundial: a cidade histórica de Ouro Preto (1980); o Santuário do Senhor Bom Jesus de Matosinhos, em Congonhas do Campo (1985); o centro histórico de Diamantina (1999) e agora o Conjunto Moderno da Pampulha.

“É com muita alegria que recebemos mais este reconhecimento da Unesco, que reafirma a posição de Minas Gerais como um berço da cultura e do patrimônio histórico no Brasil. O título concedido ao conjunto aquitetônico da Pampulha é a celebração do importante legado modernista deixado pelo arquiteto Oscar Niemeyer e evidencia a diversidade cultural existente em nosso estado”, diz o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel.

Arquiteto que projetou a Pampulha, Oscar Niemeyer tem sua destacada atuação expandida no restante do território mineiro. Por isso, o Iepha prevê iniciar neste semestre um inventário das obras assinadas pelo celebrado arquiteto em Minas Gerais, para fim de tombamento. 

Em maio deste ano esse necessário reconhecimento teve um primeiro passo, quando o Conselho Estadual do Patrimônio Cultural (Conep) aprovou o dossiê de tombamento do edifício onde funcionou a antiga sede do Banco Mineiro da Produção, situado na Praça 7, no centro da capital, também projetado por Niemeyer.

Entras as várias obras assinadas por Niemeyer situadas em Minas Gerais, merecem destaque o Grande Hotel de Ouro Preto, construído em 1939; a casa do poeta Francisco Inácio Peixoto, construída em Cataguases no ano de 1940; a Catedral Metropolitana de Belo Horizonte, atualmente em fase de construção; e a Escola Estadual Governador Milton Campos (Estadual Central), de 1954, que foi recentemente restaurada pelo Governo do Estado. 

Em Diamantina constam o Hotel Tijuco e um clube esportivo, além da escola Julia Kubitschek. As linhas de Niemeyer aparecem ainda no altar para missa campal no Santuário do Bom Jesus de Conceição do Mato Dentro, e num edifício situado na avenida Getúlio Vargas, em Juiz de Fora.

As belas construções do arquiteto Oscar Niemeyer que compõem a Pampulha  –  citada entre as obras mais importantes de seu repertório – surgiram no período de 1940 a 1945, quando o complexo arquitetônico foi implantado pelo então prefeito Juscelino Kubitschek.

O secretário de Estado de Cultura, Angelo Oswaldo, avalia o protagonismo que a obra do arquiteto vem tendo em Minas Gerais. “O Governo Fernando Pimentel dedica uma atenção especial à obra de Oscar Niemeyer, num compromisso com a correta preservação da obra extraordinária que esse ícone da arquitetura modernista realizou em Minas Gerais”.

Pampulha como Patrimônio

O processo de candidatura da Pampulha a Patrimônio Mundial foi muito rico do ponto de vista técnico, já que ela é protegida nas três esferas, segundo avalia a presidente do Iepha, Michele Arroyo. 

“Agora, município, estado e união têm o compromisso de fazer uma gestão compartilhada desse importante bem cultural a partir dos valores que a elevaram à categoria de Patrimônio Mundial e, ao mesmo tempo, garantir uma ressignificação para as novas gerações que irão se apropriar do local. A vitalidade desse patrimônio depende da articulação entre seus valores originais e os novos valores a ele atribuídos”.

Para Arroyo, a experiência arquitetônica da Pampulha inaugura a arquitetura moderna brasileira que torna-se referência para a produção nacional e internacional. “O conjunto reúne as referências da cultura nacional, em especial, o barroco mineiro, através das formas do concreto armado e da integração da natureza por meio dos projetos de paisagismo do Burle Max e as obras de arte integradas aos jardins”, ressalta a presidente.

Seminário

Em outubro, o Governo do Estado, por meio do Iepha/MG, em parceria com a Fundação Oscar Niemeyer, realiza um seminário sobre os grandes expoentes da arquitetura moderna mundial: Le Corbusier, Lucio Costa e Oscar Niemeyer. A atividade acontecerá no Circuito Liberdade.casa de fruta ofere

Esse post foi publicado em Noticias de Minas Gerais. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s